O e-commerce registrou aumento de 26,7% no primeiro trimestre do ano na comparação com o mesmo período de 2019. Os dados são da terceira edição do censo do varejo online realizado pela Compre & Confie, empresa de inteligência de mercado. 

e-commerce
shutterstock
Loja virtual, e-commerce, comércio eletrônico

A edição atual mostra que o e-commerce cresceu de forma significativa durante os primeiros três meses do ano. O faturamento atingiu R$ 20,4 bilhões, um reflexo do aumento expressivo do volume de compras realizadas pela internet: 49,8 milhões, número 32,6% maior do que o do primeiro trimestre de 2019.

Leia também: Brasil será mais digital e receptivo a novas tecnologias no pós-pandemia

Apesar da alta significativa, consumidores estão gastando significativamente menos em suas compras online. De acordo com o estudo, o tíquete médio dos pedidos realizados no primeiro trimestre foi de R$ 409,50 – valor 4,5% menor do que o registrado em 2019 –, um fator já relacionado à chegada do coronavírus ao Brasil.

“A COVID-19 já provoca mudanças estruturais no hábito dos consumidores de varejo digital. Com as medidas de isolamento implantadas no fim do mês de março, cada vez mais pessoas optam por adquirir pela internet itens de necessidade básica, como produtos de supermercado ou de farmácia", explica André Dias, diretor executivo do Compre&Confie. O especialista observa, ainda, que os itens de maior valor agregado, como os elerônicos, ficaram em segundo plano. 

O mês de março registrou uma intensa alta na comercialização online de produtos de saúde e higiene. O estudo demonstra ainda que a maior parte das compras foram feitas no Sudeste, que concentrou 66,7% do e-commerce no período.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários