O mercado livreiro no Brasil não tem trégua. Depois de sucessivas crises que desencaderam o fechamento de megastores de redes como Saraiva e Cultura, debate-se a possibilidade de tributar a venda de livros no País. Independentemente desse tumultuado cenário, a maneira mais vantajosa, do ponto de vista do consumidor-leitor, é assinar o Kindle Unlimited.

kindle
Pixabay/Perfecto_Capucine
Para incentivar a leitura nesses dias de quarentena, muitos sites reúnem e-books de graça

O plano de assinatura da Amazon dá acesso a mais de um milhão de livros para ler onde e como quiser. Não é preciso er um dispositivo Kindle para aproveitar do programa. É possível baixar os eBooks a qualquer momento usando os aplicativos gratuitos do Kindle disponíveis nas app stores.

Leia também: Neil Gaiman, "Crepúsculo" e feminismo: os livros mais vendidos na Amazon

A bibiblioteca é constantemente atualizada e a assinatura mensal corresponde a R$ 19,90 por mês. Os 30 primeiros dias são gratuitos para que o consumidor possa experimentar o serviço e formar uma opinião. Se decidir não seguir com a assinatura, o cancelamento deve ser feito antes do término do período de degustação.

Mas uma rápida ponderação desencoraja tal atitude. Um livro tem preço médio de R$ 39,90 no Brasil. Isso, por um único exemplar, que vai estar disponível na plataforma, R$ 20 a mais do que a assinatura do Kindle Unlimited .

undefined

Kindle Unlimited

Mais de um milhão de livros ao alcance de um clique

por

Amazon
Assine

R$ 19,90

*O iG pode ganhar comissão sobre as vendas originadas a partir deste artigo

    Veja Também

      Mostrar mais