notebook
Reprodução/Amazon
Venda de notebooks disparam durante a quarentena no Brasil

O mercado de computadores registrou um crescimento de 16% no 1º trimestre do ano e esse impulsionamento é ainda maior para os notebooks, que em virtude do surto de coronavírus que forçou o isolamento social, disparou nas vendas. 

A quarentena obrigou muita gente a mudar hábitos e a trabalhar e estudar de casa. Neste cenário, os notebooks se provam uma ferramenta prática, acessível e importante.

Leia também: Home office maltrata sua coluna? Veja produtos que ajudam a resolver o problema

Segundo dados da empresa brasileira de inteligência de mercado Compre & Confi e, o faturamento do setor de notebooks no comércio eletrônico no Brasil foi de 2,1 bilhões de reais entre os meses de março e junho de 2020, um crescimento de 85,2% em relação ao mesmo período no ano passado.

undefined

Positivo Duo Q432A

Trabalhe e divirta-se o todo, sem precisar estar conectado a tomada graças a bateria com mais de 6 horas de duração

por

Positivo

R$ 1.699,00

O preço médio dos produtos também subiu. Passou de R$ 1.943 para R$ 2.092, um aumento de 7,1% no período. A consultoria de mercado americana IDC estima que o segmento de notebooks tenha crescido 18,8% no Brasil durante o primeiro trimestre de 2020. A maior parte das vendas não foi para empresas, mas para pessoas físicas.

Na loja virtual da Amazon , o aparelho mais vendido é da Acer e custa R$ 3.299. Mas há aparelhos a preços mais competitivos como o Positivo Duo Q432A que custa R$ 1.699. É possível conferir a oferta de notebooks e suas especificações na página da gigante do varejo

undefined

Notebook Acer Aspire 3

4GB Memória e 1TB de HD

por

Acer

R$ 3.299,00

* O iG pode ganhar comissão sobre as vendas originadas a partir deste artigo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários