O que a NRF, maior evento de tecnologia para o varejo, tem para ensinar ao mercado?
prnewswire.com
O que a NRF, maior evento de tecnologia para o varejo, tem para ensinar ao mercado?

Especialistas da Gertec falam sobre as tendências debatidas no evento e trazem aprendizados importantes para o mercado varejista brasileiro

SÃO PAULO , 2 de fevereiro de 2023 /PRNewswire/ -- Encerrada a NRF Retail's Big Show 2023, maior evento ligado à tecnologia do varejo, uma vasta gama de insights e tendências para o futuro imediato do setor estão disponíveis. Esta edição, particularmente, foi marcada por inovações anunciadas em anos anteriores e que agora estão acessíveis para o mercado. Uma forte recomendação dos especialistas participantes: antes do ecossistema transformar-se digitalmente, é necessário garantir questões básicas.

Com um público de cerca de 40 mil participantes presentes no evento, o Brasil esteve presente com 2 mil pessoas, mostrando a importância das novas tecnologias para o varejo brasileiro, que tem aportado pesados investimentos para melhorar, por exemplo, a experiência do cliente.

Dados da Cortex, revelaram que de 233,4 mil empresas avaliadas, os varejistas e as empresas do segmento financeiro são os que mais investem em tecnologia para auxiliar os seus negócios no Brasil. Segundo a empresa, entre os varejistas, 19 mil investem em tecnologia para atender melhor a seus consumidores, seja no sentido de conexão – através de aplicativos ou site – ou na parte financeira para segurança e pagamento, a fim de se tornar omnichannel.

Neste mesmo contexto está a Gertec , empresa brasileira de tecnologia para meios de pagamento e automação comercial, que participou pela terceira vez desse grande encontro. Durante os três dias da NRF, a marca pôde apresentar um portfólio repleto de soluções disruptivas, como o sistema de gestão de terminais na nuvem, o My MDM, e também o modelo de assinatura (TaaS), chamado de Gertec 360, além do Tap2Pay, tecnologia que transforma smartphones Android em maquininha de cartão.

Os executivos da empresa, Edilson Gonçalves (Gerente Comercial), Mateus Larrabure , (Head de integração tecnológica e produtos) e Sidney Loureiro (Head Comercial da Gertec), compartilharam reflexões importantes sobre o que vivenciaram durante a NRF. Confira a seguir:

Pelo que vocês puderam acompanhar, qual ação/posicionamento será mais necessária para o varejo brasileiro?

A feira sempre abre nossa visão, e um destaque é a velocidade de disseminação das tecnologias no Brasil, muito acelerada. De certa forma, o varejo brasileiro já está alinhado às tendências globais mais maduras, mas existe espaço para expandir a utilização de tecnologias hoje restritas às grandes redes, levando-as para as lojas menores. Esta é uma das frentes de trabalho da Gertec, com terminais de autosserviço e PDVs integrados modernos e de custo acessível a todas as categorias de negócios. 

O que o varejo pode esperar sobre o investimento de tecnologia no ecossistema de pagamento?

Os meios de pagamento digitais estão cada dia mais democráticos e acessíveis a todas as classes sociais, isso acelera a digitalização do varejo e abre inúmeras possibilidades para o autosserviço, uma vez que a grande restrição sempre foi lidar com o trato de moedas físicas e o custo do dinheiro em espécie. Vimos que o Brasil está muito em linha com as tendências mundiais, no sentido de digitalização do ecossistema de pagamento. Um grande exemplo é o Pix, rapidamente adotado por toda a sociedade. .

Assuntos atuais como metaverso, cibersegurança, 5G, Web 3.0… o que podemos levar de aprendizado para o varejo com esta edição do evento?

Observamos uma preocupação grande com a privacidade e segurança dos dados dos clientes, o que em parte pode ser traduzido em cibersegurança, uma área bastante ativa nas discussões. Fornecedores em geral falavam em 5G, lembrando que é uma feira internacional, e esta tecnologia anda em um ritmo diferente em outras regiões do globo. Algumas soluções em demonstração em estandes, como realidade virtual e realidade aumentada, permitiram experiências diferenciadas tanto no mundo online/metaverso, como no mundo físico, como no espaço da loja em que uma tendência de intersecção destes dois universos, facilitam decisões ao usuário final.

O que podemos deixar de legado para os varejistas aplicarem a partir dos aprendizados da NRF?

Sem dúvidas a expansão dos autoatendimentos, o avanço dos carrinhos inteligentes e carteiras digitais/pagamento sem contato, são elementos para o varejista ficar atento.

Complementar a isto, podemos citar algumas tecnologias a serem adotadas ou no mínimo experimentadas pelos varejistas em 2023: Android como sistema operacional do ponto de venda, aplicações em RFID (inglês para Radio-Frequency Identification — ou identificação por radiofrequência), já que é uma tecnologia mais madura. Por fim - e também muito importante - a acessibilidade, tema cada vez mais relevante e observado nas soluções oferecidas ao mercado.

Temas como pandemia, inflação e guerra ainda representam riscos para os negócios, sobretudo às pequenas e médias empresas. Como elas podem surfar na onda da dificuldade e se sobressair?

Não diria surfar a onda, mas não ser engolido por ela. Após esta crise todas as empresas já mudaram seu rumo buscando eficiências e pluralidade de interfaces com o cliente final. "Os ovos não estão mais em uma única cesta". Não existe nenhuma aposta em um único método de chegar ao cliente, e sim um enlace de soluções conectando o meio físico e digital ao cliente final. É o que sempre reforçamos aqui na Gertec, não existe nenhuma tecnologia resolutiva de todas as dores. Tudo é complementar. Todas as tecnologias são somadas, e não substitutivas, como o Pix e os cartões, por exemplo.

Contato: sarah.dias@braincomunicacao.com , (11) 97192-0853 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1995158/WhatsApp_Image_2023_02_01_at_14_47_59.jpg

FONTE Gertec

    Mais Recentes

      Comentários

      Clique aqui e deixe seu comentário!