Dados apontam uma diferença de respostas do sistema imunológico das crianças, considerando que algumas, embora desenvolvam sintomas e anticorpos específicos para SARS-CoV-2, não apresentam resultado positivo no exame RT-PCR. Um estudo publicado recentemente na revista Nature, uma das mais renomadas publicações científicas do mundo, realizado com uma família com dois adultos e três crianças em Melbourne, na Austrália, exemplifica essa questão.

Menina tira fotos da mãe pelada e envia para vários contatos
Pexels
Menina tira fotos da mãe pelada e envia para vários contatos

Em março de 2020, pai e mãe foram comprovadamente contaminados num casamento e, poucos dias depois, dois de seus filhos apresentaram sintomas leves enquanto um deles ficou assintomático. Mesmo assim, todos os três apresentaram 11 vezes resultado negativo no RT-PCR em testes realizados ao longo de 28 dias.

"Quando o sistema imunológico infantil se depara com o vírus, simplesmente monta uma resposta imunológica realmente rápida e eficaz que o inativa antes que tenha a chance de se replicar a ponto de dar positivo no teste de diagnóstico de esfregaço.", observa Melanie Neeland, imunologista responsável pelo trabalho, realizado no Instituto de Pesquisa Infantil Murdoch em Melbourne.

Outra descoberta significativa diz respeito ao fato das crianças não apresentavam anticorpos específicos para a proteína do nucleocapsídeo, essencial para a replicação viral e liberada em quantidades significativas apenas quando o vírus está disseminado pelo corpo. Ou seja, as respostas imunológicas infantis parecem ser capazes de eliminar o vírus antes que se replique consideravelmente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários