Livro
Pixabay
Livro

A crise no mercado livreiro continua, mas certamente 2021 representou um bom respiro e, de quebra, foi um ano em que o brasileiro leu muito e comprou muitos livros. Foram comercializados 49,6 milhões entre janeiro e dezembro. Para efeito de comparação, em 2020, também sob o impacto da pandemia de coronavírus, foram vendidos 37,3 milhões de livros.

Os dados são do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e foram apurados pela Nielsen Bookscan. Eles mostram que o setor teve um faturamento de R$ 2 bilhões em 2021, um crescimento de 31,3% em relação a 2020.

Para essa expansão contribuíram os descontos concedidos pelo setor, que derrubaram o preço médio, apesar da inflação para o exercício, estimada em mais de 10%.

Um bom exemplo da prática está na loja virtual da Amazon, que sempre renova promoções de eBooks e livros físicos. No momento, por exemplo, há oferta de até 50% de desconto para literatura brasileira .

Fortaleça a cultura! Compre livros!

* O iG pode ganhar comissão sobre as vendas originadas a partir deste artigo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários