E-commerce não para de crescer no Brasil
Pixabay
E-commerce não para de crescer no Brasil

O ano de 2020 foi ruim em muitos sentidos e para muitos setores da economia, mas o e-commerce não se enquadra nessa realidade. O faturamento do e-commerce (compra e venda de produtos pela internet) cresceu 41% somando mais de 194 milhões de pedidos feitos por consumidores brasileiros no último ano. O levantamento da Webshoppers ainda ressalta que essa foi a maior alta percentual desde 2007.

Dentre os varejistas em destaque, lojas de departamento, como Americanas, Amazon e Magazine Luiza, concentraram 84,3% das compras online em 2020. Já as redes de artigos esportivos, que foram o segundo segmento mais popular, geraram 2,8% do faturamento.

Tendência de alta

Segundo a projeção da E-bit | Nielsen, o crescimento previsto para o e-commerce brasileiro neste ano é de 26%, alcançando um faturamento de R$110 bilhões. De acordo com o levantamento, estima-se um aumento de 16% no número de pedidos e de 9% no valor médio das vendas. Fatores como o fortalecimento dos marketplaces, a consolidação dos e-commerces locais e a maturidade logística para agilizar a entrega em busca da eficiência operacional irão contribuir para a expansão das compras on-line .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários