A queda de renda do brasileiro esá em ritmo acelerado e a longevidade da pandmeia no País desafia programas como o auxílio emergencial e o Programa Emergencial de Manutenção de Emprego e Renda. Pequenos empresários também têm sofrido para conseguir crédito junto às instituições financeiras.

Demanda por crédito cresce 38% desde o início da pandemia
Redação 1Bilhão Educação Financeira
Demanda por crédito cresce 38% desde o início da pandemia

É neste cenário de forte instabilidade econômica e social que a parceria do portal iG com a FinanZero , fintech que opera como correspondente bancário online para negociar empréstimos junto a instituições financeiras, desponta como uma valiosa ferramenta para o cidadão e/ou pequeno empresário. 

O iG Crédito$ , a partir do cadastro feito pelo usuário, oferece um conjunto de opções de empréstimos pessoais para que o consumidor escolha aquela com taxas e condições que melhor se adequem a seu orçamento. Após o pedido, o cliente pode obter propostas de crédito pré-aprovadas em menos de cinco minutos.

É possível fazer simulações e tirar dúvidas no site creditos.ig.com.br . É importante observar que a operação é regulamentada pelo Banco Central e que, depois de aprovado o empréstimo, o dinheiro cai na conta em até 48 horas.

O que pagar primeiro?

O educador financeiro Silvio Azevedo alerta que, em primeiro lugar, é preciso ter em mente as contas de necessidades básicas, sendo elas contas de água, energia, alimentação, internet e telefone. "Aqui não estamos falando da parcela do celular, mas sim da conta para que a pessoa não se torne incomunicável com o universo", pontua.

Silvio coloca como sugestão a r enegociação do aluguel neste período de crise, além da postergação de planos de academia. "Muitos donos de imóveis estão permitindo essa negociação com os inquilinos porque é melhor ter alguém pagando depois que a crise passar do que não ter ninguém. No pós-crise vai ser muito mais difícil as pessoas buscarem novos aluguéis".

Mais pessoas com dívidas

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) mostrou que mais pessoas entraram em 2021 com dívidas. A mesma pesquisa registrou queda na inadimplência, o que possibilita verificar que o brasileiro está fazendo o possível para honrar seus compromissos. O buscador de empréstimos do iG é mais um aliado nessa batalha.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários